Resenha do Livro: “O Julgamento”

FONSECA, Libêncio José Mundim da. O Julgamento. Belo Horizonte: O Autor, 2001. 191 p.

Libêncio José Mundim da Fonseca é Advogado residente em Belo Horizonte. Além da obra resenhada é também autor do livro O dedo torto da lei. É característico em seus livros tratar de temas relacionados ao mundo Judiciário, bem familiarizado ao meio, demonstra mesmo que, nas entrelinhas sua indignação perante as diversas “atrocidades” que infelizmente permeiam nesse sistema.

O Julgamento é uma brilhante alerta aos cidadãos desinteressados e afins da Justiça, tal muitas vezes esquecida, ludibriada, negligenciada e corrompida pelos principais atores desse cenário. O livro retrata a história de dois jovens apaixonados Jane e André. O Namoro dos dois acaba tornando-se em uma enorme tragédia, quando Mozart pai de Jane, acaba assassinando André a sangue frio, depois de flagrá-los em momentos íntimos em sua casa sem o seu consentimento.

O desenrolar da história demonstra as várias artimanhas usadas pelo Advogado de Mozart, Dr. Biela em prol de seu cliente. Expõem inúmeras falcatruas do advogado, patrocinadas pelo “chefão” da cidade um comerciante que se sentia dono de tudo e de todos (Joel). O exercer da advocacia assim como qualquer profissão que envolva o convívio em sociedade requer de seus membros preceitos éticos e humanitários. No entanto, o personagem Dr. Biela – e sua corja – despreza tais preceitos.

É evidente a indignação do autor frente a membros desse sistema que ignoram o ideal de Justiça ao articularem planos para beneficiá-los, cientes das injustiças que praticam. Planos que vão desde a corrupção de chefes de polícia a membros do Judiciário. Outro entrave relatado pelo autor é o relacionamento com membros influentes e egocêntricos de certas cidades, onde o simples fato de posicionar-se em uma situação que desagrade esses “crápulas” resulte em prejuízo certo, como exoneração, intimidação, e muitos mais.

O Julgamento título da obra foi muito bem escolhido pelo autor, tendo em mente a mensagem que o mesmo queria passar. Julgar faz menção a emitir juízo sobre algo ou alguém. No âmbito do julgamento o juízo foi claramente formulado por todos os presentes perante as provas apresentadas, porém, tal juízo foi facilmente corrompido por interesses alheios. O livro traz a tona um tema sequer recordado nos meios sociais. Um verdadeiro alerta para os rumos da justiça. Julgar não é apenas entender o significado léxico desse termo é acima de tudo exercer um direito cívico com consciência e imparcialidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s